MINHA CASA, MINHA VIDA: NADA DE CONCRETO, ALÉM DE FILAS.

Como em todo o Brasil, na capital e interior de SP pessoas madrugam à procura de inscrição.

20/04/2009, São Paulo, SP - Na última semana, a Rua Boa Vista, região central da cidade e endereço da Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab/SP), ganhou novo cenário. Além da rotineira multidão que circula apressada para o ir e vir do trabalho, extensa fila começa a se formar durante a madrugada, e se alonga no decorrer do dia. São pessoas à procura de inscrição no programa “Minha Casa, Minha Vida”, partícipes de cenas que se repetem em cidades interioranas do Estado de São Paulo e em todo o Brasil.

Enquanto os governos federal, estadual e municipal articulam parcerias para viabilizar o programa, as inscrições para o mesmo são recebidas por órgãos habitacionais dos vários escalões públicos, mas não há nada de concreto acerca do critério a ser adotado para priorizar o atendimento aos proponentes a mutuários. Enquanto o esclarecimento não chega, prefeituras de todo o país e agências da Caixa Econômica Federal recebem diariamente centenas de interessados.

Além do atendimento presencial (segundas as sextas-feiras, das 8 às 17 horas), que vem acusando média diária de 600 interessados (antes do programa, a frequência média era de 45 pessoas/dia), a Cohab SP recebe inscrições pelo endereço eletrônico. O cadastro a ser preenchido não é específico do programa “Minha Casa, Minha Vida”, e sim a “Ficha de Demanda Habitacional” utilizada desde sempre pela Companhia.

Na home do site da autarquia, uma chamada esclarece aos interessados: “Não se preocupe porque a seleção NÃO é feita por ordem de chegada, e o prazo NÃO vai acabar”. Este esclarecimento vale para interessados de todo o Brasil, independente de onde façam suas inscrições. O endereço para cadastramento eletrônico junto a Cohab SP é:
http://demanda.cohab.sp.gov.br/demanda2/instrucoes_.htm