FGTS INJETA R$ 36,7 MILHÕES NO SETOR

Dados se referem aos dois primeiros meses do ano e representam um aumento de 18,1% sobre 2011

A utilização do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para adquirir a casa própria foi a responsável por injetar R$ 36,7 milhões no mercado imobiliário da região de Campinas no primeiro bimestre de 2012. O total é 18,1% superior ao utilizado nos dois primeiros meses do ano passado, R$ 31,1 milhões.

No primeiro bimestre de 2011 foram realizados 4.551 saques, número que saltou para 5.848 no acumulado deste ano. Os números foram divulgados pela Caixa Econômica Federal e se referem a 18 cidades da RMC - Itatiba ficou de fora, além dos municípios de Rio das Pedras, Mombuca, Rafard, Capivari e Elias Fausto. Em relação ao número de saques, o crescimento foi ainda maior e chegou a 28,5%.

Em janeiro deste ano, foram 3.122 saques, que totalizaram R$ 19,6 milhões, enquanto que no primeiro mês de 2011 o uso do FGTS para a casa própria foi de R$ 14 milhões em 2.208 saques. O valor utilizado em janeiro deste ano é 39,4% que o do ano passado. Já em fevereiro foram 2.726 saques, atingindo o montante de R$ 17.168.845. Valor semelhante ao do mesmo período de 2011, que foi de R$ 17.081.345 em 2.343 saques.

“O governo adotou um conjunto de políticas para estimular a área de habitação, com juros baixos e aumento na oferta de crédito, além da criação de programas habitacionais. Como o valor do aluguel está muito alto, é preferível pagar uma casa própria e pagar uma prestação”, explicou o economista e professor da PUC-Campinas (Pontifícia Universidade Católica de Campinas), Cândido Ferreira da Silva Filho.

REPERCUTE

Para o presidente da Habicamp (Associação Regional da Habitação), Francisco de Oliveira Lima Filho, o uso do FGTS tem facilitado a venda de imóveis e ajudado a aquecer o mercado, principalmente através do programa Minha Casa Minha Vida. “É mais uma busca e um nicho de mercado. Automaticamente, o custo cai um pouco e dá uma disponibilidade no mercado, fica mais fácil compar. Sem dúvida, o programa Minha Casa Minha Vida também ajudou nesse aumento do uso do FGTS, já que as classes mais baixas têm utilizado esse mecanismo”, disse Lima Filho.

Os recursos do FGTS podem ser utilizados para financiamento, pagamento total ou parcial do imóvel e para pagamento de lance na obtenção da Carta de Crédito. Para utilizar o fundo, o trabalhador não pode ser proprietário de imóvel residencial, concluído ou em construção, e não possuir imóvel financiado pelo SFH (Sistema Financeiro de Habitação) em qualquer parte do território nacional. Além disso, é necessário comprovar tempo de trabalho mínimo de três anos sob regime do FGTS. O valor do imóvel não pode ultrapassar R$ 500 mil.