BRADESCO APOSTA EM IMÓVEIS PRÓPRIOS PARA AMPLIAR GANHOS


Com o novo cenário de queda da taxa básica de juros (Selic) e do spread bancário, o Bradesco busca alternativas para manter e ampliar seus ganhos. Uma das formas encontradas recentemente foi a criação da BSP Empreendimentos Imobiliários. Segundo o presidente da Bradesco Seguros, Marco Antônio Rossi, o intuito é ampliar a estrutura dos imóveis próprios para potencializar o valor e, assim, elevar os ganhos dos acionistas e dos ativos da seguradora, além da criação de novos produtos financeiros, como um fundo imobiliário que deve ser lançado em breve.
A informação foi passada pelo executivo durante o encontro Apimec, realizado em São Paulo para analistas e investidores da instituição financeira.
Atualmente, o grupo Bradesco possui 827 empreendimentos próprios, que somam o valor de custo de R$ 1,3 bilhão. "Primeiro, vamos ampliar a estrutura e, em um segundo momento, o acionista poderá investir por meio de fundos imobiliários", disse Rossi. Para exemplificar, o executivo mencionou um terreno no qual está instalada única agência: "Pode ampliar para 20 andares além da agência e potencializar com ganhos de aluguel".
Em relação ao segmento de seguros, Rossi afirmou que será uma oportunidade para potencializar os ativos, já que estes poderão ser investidos nos empreendimentos imobiliários. "Gera hedge adequado para a seguradora, porque temos aposentados, por exemplo, que terão ganhos no longo prazo e, assim, promovemos uma otimização dos ativos", comentou.
Questionado pelo DCI se a criação da BSP Empreendimentos Imobiliários tem relação direta com a queda da Selic, já que o resultado financeiro da seguradora tende a ser menor com a diminuição dos rendimentos das aplicações em Renda Fixa, o presidente da Bradesco Seguros declarou que esse não é o principal motivo, mas um complemento. "É uma oportunidade que surge."
No atual momento, há dois projetos em andamento, um dos quais é em Alphaville, com 32 mil metros quadrados e direcionado para a ocupação de lojas e escritórios. Também voltado para o ramo de salas comerciais, o segundo projeto está localizado no Rio de Janeiro, na região de Visconde de Pirajá, e tem cerca de quatro mil metros quadrados.
Sobre o desenvolvimento do ramo de seguros dentro do grupo Bradesco, Marco Antônio Rossi afirmou que a participação deve permanecer em torno de 30%, mesmo com a expansão acelerada do mercado. "Os negócios são diferentes [seguros e bancário] e prevemos uma manutenção, até porque o setor financeiro deve crescer também." No mercado segurador, o Bradesco possui 24,9% de market share, com faturamento de R$ 20,988 bilhões, alta de 20,1% contra o primeiro semestre de 2011.
Estratégia
Com 4,650 mil agências, 40,476 mil postos do Bradesco Expresso e 65,370 mil pontos de atendimento, o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, falou na Apimec sobre o foco da instituição no crescimento orgânico. "A rede de distribuição é o eixo central dos negócios do Bradesco."
Apesar da revisão para baixo das projeções de expansão no segundo semestre, Trabuco acrescentou que os últimos 12 meses foram "auspiciosos" (sic). "Nosso ativo cresceu R$ 141 bilhões, a carteira de crédito R$ 46 bilhões e a carteira de investimento mais R$ 23 bilhões. O valor das ações de mercado evoluiu ainda R$ 23 bilhões no período", afirmou.
Questionado por um investidor presente no encontro Apimec sobre a competição com os bancos públicos, que apresentaram forte expansão da carteira de crédito no segundo trimestre, Trabuco foi enfático ao dizer que é acirrada, mas não arrefeceu os ânimos. "Estamos vivendo um ciclo em que o aumento da competição bancária tem sido acentuado. O Bradesco sempre se coloca, mas é evidente que possuem [instituições públicas] outra estrutura de funding e acionistas controladores. Respeitamos, mas o relacionamento [com clientes] está entre as razões que a gente consiga competir nesse mercado", comentou.
Já Maurício Machado de Minas, diretor-executivo-gerente do banco, acentuou que o desenvolvimento dos canais digitais é o novo caminho da instituição. "Somos um país de classe média e de jovens, então há uma dinâmica diferente. Hoje, 91% das transações estão nos canais digitais e temos o foco em enxergar o novo cenário, prestando bom serviço."
O executivo acrescenta que, por dia, 256 milhões de transações são realizadas nesses canais, que incluem as redes sociais, telefone, caixas eletrônicos (ATMs), entre outros. De 2007 ao primeiro semestre de 2012, o Bradesco investiu R$ 18,5 bilhões em infraestrutura e tecnologia da informação, com mais R$ 5 bilhões orçados para os próximos meses.
O economista-chefe da instituição, Octávio de Barros, projetou ainda o cenário econômico brasileiro para os próximos meses. Segundo o economista, problemas atípicos podem ter afetado negativamente em um ponto percentual o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2012.