PUBLICIDADE IMOBILIÁRIA: UMA NOVA REALIDADE

O mercado imobiliário vive um momento muito importante. Em razão de uma economia mais forte, mais empregos, mais renda, melhores condições de financiamento, com prazos maiores, juros enormes, e mais recursos para a produção, o setor está aquecido. Isso movimenta as empresas que incorporam, constroem e , principalmente, as que vendem. E esse aquecimento mexendo com um outro mercado: o publicitário. As agências que atuam no setor estão crescendo em número de clientes e volume de negócios e outras, as que não tinham núcleos para esse segmento, estão criando. Segundo pesquisas, as empresas imobiliárias são o sexto maior investimento em mídia feito no País, na ordem de R$ 2 bilhões anuais. Sem dúvida, esse mercado se transformou em um dos mais promissores nichos da propaganda. Conforme dados , há três anos, os empreendedores aplicavam entre 3% e 4% do Valor Geral de Vendas em publicidade. Hoje, esse percentual varia entre 4 % e 7%. Atualmente não se fala apenas em campanhas focadas no produto, mas na preocupação em construir uma forte e sólida imagem de marca que transmita ao consumidor confiança, familiaridade, segurança e, como conseqüência. Fidelidade. “Utilizando técnicas específicas e criatividade, as campanhas têm a responsabilidade de despertar o desejo e o interesse da compra de um imóvel. A partir daí, o comprador procura conhecer profundamente o produto antes da aquisição. Hoje, não se vai a um showroom, sem antes pesquisar tudo sobre o imóvel desejado”, analisa Wilson Campos Mello, da C&F Comunicação, hause agency da Coelho da Fonseca, associada da Rede Imobiliária Brasileira e São Paulo/SP. Segundo Mello, o comprador compara cada empreendimento, analisa preço e condições de pagamento, facilities e a qualidade de vida que terá na unidade que irá adquirir. “Ele quer aquele que melhor atenda suas expectativas e de sua família. Dentro desse cenário, o showroom é peça fundamental no processo de encantamento. Devem ser apresentadas unidade muito bem decoradas. Já há casos com três, quatro modelos justamente para valorizar a experiência sensorial do comprador e despertar seu desejo”, avisa. “Por isso, a publicidade precisa, lastreada em pesquisas, conhecer profundamente o cliente – seus hábitos e preferências – assim como o produto, oferecendo uma comunicação com conteúdo e resultado”, conclui Mello.