FUNDOS IMOBILIÁRIOS AQUECEM O MERCADO


Setor em alta gera inúmeras possibilidades de novos negócios e maior rentabilidade financeira
O mercado imobiliário brasileiro – segundo maior do mundo, atrás apenas da China - deve continuar em alta em 2013, consolidando-se como uma das melhores opções para se investir.  Exemplo disso são os fundos imobiliários, uma nova e importante fonte de recursos para a construção civil. De acordo com a Bolsa, responsável pela listagem e organização de investimentos, o volume de negócios de cotas desses fundos na BM&F Bovespa passou de 502 transações por dia, em janeiro de 2008, para 13.650 no mês passado (dezembro de 2012).
Confirmando o bom momento vivido pelo setor, o fundo de investimento imobiliário Memorial Office (FMOF11) foi o mais rentável de 2012, com retorno efetivo de 84,3%. Segundo o ranking da UQBAR - empresa de conhecimento financeiro -, outros quatro fundos terminaram o ano passado com rentabilidade efetiva superior a 50%: FII Hotel Maxinvest (HTMX11B), Torre Almirante (ALMI11B), Hospital Nossa Senhora de Lourdes (NSLU11B) e BTG Pactual Fundo de Fundos (BCFF11B).
Neste contexto, a i-Uni Brasil chega ao mercado proporcionando um novo modelo de negócios para o corretor de imóveis e para as imobiliárias físicas, além de ser a melhor opção para quem pretende abrir o seu primeiro negócio. Isso porque o investimento inicial é muito baixo (R$ 2 mil), com mensalidades de R$ 200 para corretores autônomos e R$ 500 para imobiliárias físicas. Se associar é muito simples: basta o profissional possuir um computador, telefone fixo ou celular e acesso à internet.
De acordo com o diretor geral da i-Uni Brasil, Rodrigo Caporrino, esse é o momento de investir em um negócio voltado para o setor imobiliário. Para se ter ideia da valorização do mercado, a quantidade de fundos imobiliários já listados na Bolsa chega a 70 e a previsão é de que esse número continue crescendo rapidamente. “Por outro lado, as empresas do setor imobiliário exibiram volume recorde de número e de montante anuais de emissões de debêntures – títulos de longo prazo emitidos por uma empresa de grande porte que paga juros ao seu vencimento e tem como garantia os seus ativos”.
O levantamento preliminar feito pela Uqbar para o Anuário Imobiliário 2013, indica 35 emissões de novas debêntures do setor imobiliário em 2012, totalizando R$ 6,43 bilhões. O maior número anual de operações até então era de 26, referente a 2011, e o maior montante anual de emissões era de R$ 5,53 bilhões, referente a 2010.
Para Rodrigo Caporrino, o sucesso dessa modalidade de investimentos deve-se ao “boom” imobiliário no país, que tornou o segmento muito rentável e atrativo. “Por isso, alugar ou vender imóveis pode ser uma das atividades mais seguras para se alcançar o tão sonhado sucesso profissional. Além disso, grandes eventos como a Copa das confederações, Copa do mundo e Olimpíada já estão proporcionando aumento da procura e aquecendo o mercado de locações. Alguns imóveis em Salvador, por exemplo, estão sendo negociados por R$ 60 mil no mês da Copa”, diz o executivo.
Vantagens ao corretor - Com o sistema i-Uni Brasil instalado no computador, os autônomos podem trabalhar em casa, dispensando custos adicionais com o aluguel de uma loja ou escritório, por exemplo. Além disso, recebem treinamento, apoio jurídico e administrativo, modelos de contratos, cartões de visitas e assessoria de marketing e merchandising. Por outro lado, as imobiliárias ganham destaque ao adquirir um sistema inovador, ampliar a carteira de clientes e receber o apoio necessário oferecido também aos autônomos, incluindo assessoria na padronização de fachada.
Segundo a diretora de comunicação da empresa, Vanessa Rosal, a expectativa é que a i-Uni Brasil se transforme na maior rede imobiliária brasileira, com a conquista de 60 licenciados até o final de 2012 e alcançando 210 associados ao final de 2013. “Nosso foco principal são os corretores autônomos, que de acordo com o Creci, são cerca de 300 mil em todo o país, além das pequenas imobiliárias com até dez corretores. Geralmente, essas pequenas imobiliárias precisam de motivação para aumentar o faturamento. E é aí que entra a estrutura oferecida pela nossa rede", explica.
Sobre a i-Uni Brasil (www.iunibrasil.com.br)
Os fundadores da i-Uni Brasil são profissionais imobiliários com significativa experiência no mercado Europeu, tendo enfrentado um cenário hostil para negócios na região e as dificuldades do setor, além da enorme crise econômica que a união europeia sofre atualmente. Diferente do conceito de uma franquia convencional, a empresa oferece as vantagens de um modelo de negócios que já é sucesso na Europa dentro de um setor que está em alta no Brasil.
Procurando destacar-se no mercado local, objetivando conter custos de publicidade com seus anúncios e tentando economizar tempo nas saídas às ruas para captar imóveis, os sócios da i- Uni Brasil adquiriram uma franquia imobiliária que usa um sistema muito conhecido em países como Noruega, Espanha e Portugal de publicações em massa de anúncios na internet.
O sucesso e destaque ante as imobiliárias tradicionais locais foi gigantesco, proporcionando aos sócios, além do ganho de capital, um profundo conhecimento sobre uma alternativa de negócios que salta à frente de qualquer imobiliária comum.
Contudo, em um projeto arrojado e inovador para o mercado brasileiro, a equipe i-Uni Brasil desenvolveu um sistema diferente, muito mais amplo e prático que o europeu, adaptado para uso exclusivo no Brasil e possibilitando assim desenvolver no país um conceito único de negócio imobiliário, totalmente novo, de baixo custo operacional, extremamente ágil e de alta lucratividade para os usuários.
Ao se tornar um associado, o corretor e a imobiliária terão a alternativa de fazer anúncios de forma automática em mais de 300 portais imobiliários, economizando tempo e dinheiro. E poderão ainda encontrar proprietários particulares que anunciam seus imóveis em todos os estados brasileiros.