VOCÊ PODE SER UM LÍDER? VEJA AS 7 COMPETÊNCIAS QUE TODO CHEFE DEVE TER


Especialista revela quais são essas competências e 

como elas devem ser praticadas


Por Luiza Belloni Veronesi 


SÃO PAULO - Não é fácil ser um líder. Além das preocupações e responsabilidades, ainda há uma série de competências que um gestor deve ter para realizar uma boa liderança. 

Segundo a consultora Cristiane Domingues Ribas, da De Bernt Entschev Human Capital, as competências de liderança podem ser praticadas e desenvolvidas pelos profissionais ao longo de uma carreira. “Um fator que pode ajudar nesta busca é a participação em grupos nos quais existam oportunidades de gerenciar pessoas, como em cursos de especialização, pós e idiomas”.

A consultora conta que, dessa forma, o indivíduo pode exercer a liderança como gestor de grupo e distribuir tarefas e prazos. “Praticar a liderança é extremamente produtivo, pois permite ao profissional vivenciar exemplos reais de gestão de pessoas, bem como analisar se tem perfil e prazer em liderar” comenta.
As competências de liderança podem ser praticadas e desenvolvidas pelos profissionais (Fonte: Getty Images)

Quais são as competências, afinal?
Cristiane revela quais são essas competências e como elas devem ser praticadas. Confira as sete principais:

1. Identificar e desenvolver talentos
Em vez de mostrar novas ideias o tempo todo, o chefe deve saber orientar, desenvolver e treinar as pessoas para que elas tragam novas ideias, na opinião da consultora. Por isso, estar envolvido com os colaboradores é fundamental para valorizá-los dentro de uma empresa e mostrar a eles que fazem parte da instituição.

2. Planejar e definir metas
Segundo a especialista, além de um planejamento de carreira, ou seja, conhecer onde se quer chegar e como pretende chegar, o processo de liderança envolve o ato de aproximar a equipe, definindo o papel e as tarefas de cada integrante do grupo e auxiliando-os a focar na entrega dos resultados e no cumprimento das metas.

3. Abrir mão do reconhecimento em prol da equipe
Saber nomear e dividir as conquistas com toda a equipe, em vez de reclamar as glórias somente para si, é outra competência essencial para um líder. “É importante saber reconhecer a parcela de contribuição de cada integrante da equipe e valorizar as ideias de cada um. Isso os incentiva a continuar contribuindo para o sucesso do grupo”, comenta Cristiane.

4. Ser resiliente
Com o dinamismo atual do mercado, os gestores precisam ser ágeis e focados nas soluções, em vez de lamentar sobre os problemas, explica a consultora. “Os líderes devem ter bom equilíbrio emocional para saber lidar com situações difíceis e desafiadoras de maneira mais produtiva e assertiva. Desta maneira, não perdem a cabeça em momentos de conflito ou crise”.

Um líder resiliente é positivo em relação aos problemas e procura encontrar a melhor solução com tranquilidade e assertividade. Além disso, é flexível e aceita com maior facilidade as novidades e propostas.

5. Escutar
Além de se comunicar e relacionar com facilidade, um bom líder precisa, antes de tudo, saber escutar – que é diferente de saber ouvir. Escutar significa considerar as propostas feitas, estar atento aos que os demais dizem, perceber e compreender as informações que a empresa lhe repassa. “É o ato de se preocupar com o que está ouvindo e compreender essas informações, demostrando assim interesse real pelas pessoas e pelo que dizem”, diz Cristiane.

6. Servir de exemplo
Para ser um bom gestor, o líder precisa servir de exemplo a seus subordinados. Humildade e respeito são características intrínsecas para uma gestão eficaz. “Ser humilde permite ter uma equipe capaz de brigar e defender seus ideais. Isso acontece porque acreditam no papel do líder como conciliador e porque ele sabe reconhecer a capacidade, o conhecimento e o valor moral de seu time”.

7. Gerenciar
O papel de gestão envolve muitos conflitos, processos, riscos e envolvimento com pessoas. “O profissional deve ter capacidade de avaliar situações e obter resultados, incentivar o trabalho em equipe e realizar feedbacks aos funcionários. A incapacidade de lidar em grupo, inclusive, é o principal fator eliminatório de candidatos a cargos executivos”.