“GRILAGEM” ATRAPALHA CORRETORES DE IMÓVEIS


O um bom profissional do setor imobiliário trabalha anos na fidelização de clientes. O cuidado com a imagem é fundamental para o sucesso de um corretor, afinal, ninguém irá negociar o sonho de uma vida com alguém que não transmita confiança. 


Na contramão, estão criminosos que se aproveitam do status da profissão e se intitulam corretores, com o objetivo de aplicarem golpes. A ação acontece da seguinte forma, a quadrilha invade o terreno, coloca cerca, portão e uma placa com o nome de um condomínio. Documentos falsificados são utilizados para enganar as vítimas. Os golpistas negociam os imóveis por valores bem abaixo do preço de mercado e, por isso, atraem um grande número de pessoas. 

O crime é conhecido por "grilagem" e atrapalha os profissionais do setor. Geralmente acontecem em terrenos não utilizados pelo Estado. Se a propriedade for privada, alguém pode aparecer e acabar com o esquema. A possibilidade diminui quando se trata dos terrenos públicos. 

No Distrito Federal, a polícia prendeu dois homens acusados de grilagem de terra na Ponte Alta, Gama, região administrativa. A dupla vendia lotes que pertence a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil. 

A área tem mais de cinco mil metros quadrados. As investigações da Divisão Especializada em Meio Ambiente da Policia Civil duraram quase dois meses e concluiu que os suspeitos levavam compradores para conhecer o terreno. 

Com os grileiros, a polícia encontrou documentos para a transferência dos lotes e um bloco com uma lista de supostos compradores. Também foram recolhidas faixas com anúncios. Um dos acusados possui registro no Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Goiás