MERCADO: É O MOMENTO CERTO PARA NEGOCIAR A LOCAÇÃO DE IMÓVEIS USADOS

Pesquisa do Creci mostra que o começo do ano foi positivo para compra e locação de imóveis usados


15.out.2012 - Weber Sian / A Cidade
Oferta em alta e poder de negociação cada vez mais forte dos consumidores movimentam o mercado imobiliário residencial. Dados do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci-SP) mostram que o ano começou com alta nas locações e compra de imóveis usados e queda nos preços em 37 cidades do Estado – entre elas, Ribeirão.
Em janeiro, o mercado de locação cresceu 16,4%, ante dezembro. Já as vendas aumentaram 0,9% (leia mais no infográfico no final da página). Movimentação que não impediu queda média de 9% nos valores dos imóveis vendidos e dos aluguéis.

De acordo com o delegado regional do Creci-SP em Ribeirão, Antonio Marcos de Melo, a maior demanda por aluguéis em janeiro é natural em Ribeirão, por conta da grande movimentação de estudantes que chegam à cidade. O que surpreendeu o setor foi o bom ritmo de vendas de imóveis no mês de janeiro.

“É um mercado que está crescendo por conta das diferentes propostas de financiamento existentes e porque, hoje, o preço de uma prestação está próximo de uma locação”, diz.
Sobre o mercado de locação, o delegado regional destaca o poder do consumidor na hora de negociar. Segundo ele, ao alugar um imóvel, todo mundo está preparado para ouvir uma proposta e os que estão interessados buscam essa barganha para chegar a melhores valores e condições.


A pesquisa feita pelo Creci, em Ribeirão e outras 36 cidades do Estado, indica que o ano começou com um ajuste dos valores de aluguéis ao bolso do inquilino. Nos 19 municípios do interior, o desconto nos aluguéis chegou a 16%.
Em Ribeirão, segundo Melo, na região central da cidade, há uma maior disponibilidade de imóveis e uma maior possibilidade de barganha.

Com mais gente comprando, aluguel deve baixar

Com a redução do déficit habitacional impulsionada por programas de habitação e maior facilidade de financiamentos, existe uma tendência de ajuste de margem nos preços dos aluguéis.

“Foi um mercado que cresceu muito nos últimos anos e se valorizou. Agora, com mais pessoas com a casa própria, os preços elevados em aluguéis, que eram praticados antes, tendem a baixar”, diz o economista Edgard Monforte Merlo, professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP Ribeirão.

Segundo o último índice de inflação de Ribeirão, divulgado sexta-feira passada, o aluguel teve queda de 0,52% na cidade.
“Também existe uma oferta maior de imóveis, o que faz os preços caírem”, explica o economista Fred Guimarães, responsável pelo índice.