CORRETOR DE IMÓVEIS: UM CONSULTOR MAIS QUE NECESSÁRIO


Na hora de comprar um apartamento surgem muitas dúvidas, entre elas, se o imóvel atende às necessidades da família, se a localização é a ideal, se o valor cabe no orçamento, entre outras. Além dos habituais questionamentos, há ainda a burocracia e todo um processo de venda. Por isso, a ajuda do corretor de imóveis é imprescindível, pois ele atua como intermediário entre quem está vendendo o imóvel e quem quer comprá-lo.



Mas o corretor não faz apenas esse meio de campo: ele apresenta o apartamento ao cliente, salientando os prós e os contras, a região onde o mesmo está localizado, mostra-lhe o projeto e como foi desenvolvido, verifica as condições da construção, organiza todos os documentos necessários durante o processo de negociação e, claro, orienta o cliente sobre qual imóvel atende melhor às suas necessidades, de acordo com suas condições financeiras.

“Todos os dias atendo pessoas que querem realizar o sonho de ter a casa própria. Geralmente, meu primeiro contato com elas é pelo telefone. É preciso aproveitar a ligação e coletar informações com o cliente sem o constranger, para montar inicialmente um perfil e já ir visualizando imóveis que possam atendê-lo. É importante convencer de que você tem um produto que é exatamente o que ele precisa. Depois, é hora do atendimento presencial na imobiliária. Então, começo a apresentar alguns imóveis, enquanto conheço melhor a pessoa e entendo mais a fundo suas necessidades”, afirmou Ricardo Rodrigues, consultor imobiliário.

O consultor lembra que, para que uma venda seja concluída, é fundamental estar atento ao que é indispensável para o cliente – segurança, conforto, espaço, preço etc.. “No decorrer da conversa, ele vai passando essas informações. Nessa hora, o corretor tem que estar antenado e saber ouvir bem”, destaca Ricardo. Segundo ele, de posse destas informações, há ainda de saber trabalhá-las de forma positiva.

Depois de tudo isso, chega a fase de análise de documentos, se tudo estiver correto faz-se uma simulação que identifica como será o financiamento junto à instituição financeira, quando a venda não for à vista. Só então, o corretor mostra o apartamento decorado ao comprador e leva-o ao local onde será construído o empreendimento. “Só então fechamos a venda. E só consideramos o negócio concluído quando o cliente assina o contrato e efetua o pagamento do sinal”, enfatiza o consultor.

A encarregada de setor Ana Nascimento comprou recentemente um apartamento e foi acompanhada por Ricardo durante o processo. Segundo ela, a consultoria do profissional fez toda a diferença e deu a segurança que ela precisava para fechar o negócio. “O Ricardo tem atitudes positivas. Ele é carismático e tem um diálogo interativo centrado nas necessidades do cliente. Além disso, me apresentou todas as informações necessárias, principalmente sobre localização do imóvel e infraestrutura da região”, assegura.

Ana queria morar perto da família, mas Ricardo foi muito transparente e mostrou que isso não era possível em função de sua renda. “Ele me mostrou mais opções e eu pedi um tempo para pensar. Ricardo não desistiu de mim e continuou insistindo. Ele me ajudou muito. A minha renda era baixa para o imóvel que encontramos, de acordo com meu perfil, e que me agradou; a entrada também era alta. Ricardo negociou parcelando o restante da entrada e o negócio, enfim, foi concretizado”, comemora a cliente, que acabou se tornando amiga pessoal do corretor.