CORRETAGEM DE IMÓVEIS PODE PROPORCIONAR BONS GANHOS


Profissionais que atuam em administradoras de imóveis atuam em ramos especializados e garantem bons negócios para os clientes.



A categoria surgiu ainda na década de 30, período de criação das primeiras legislações trabalhistas. Nos anos 40, os corretores já eram reconhecidos pela sociedade, porém, somente no dia 12 de maio de 1978 a profissão foi regulamentada pela Lei nº 6.530. "A legislação foi importante para regularizar a atuação destes profissionais e assegurar seus direitos", observa o advogado imobiliário Carlos Samuel de Oliveira Freitas.


Antigamente, a profissão não era encarada como algo estável e definitivo. Muitas pessoas se aventuravam na comercialização de imóveis quando precisavam de um bico para ganhar dinheiro. Hoje, a história é bem diferente. "O mercado imobiliário se expandiu muito nos últimos anos no Brasil, abrindo boas oportunidades para quem desejava trabalhar na área. A mudança no perfil dos clientes e do próprio mercado exigiram a profissionalização e uma boa formação para ser bem-sucedido", afirma Freitas, diretor de condomínios da PRIMAR Administradora de Bens.

Para atuar como corretor de imóveis é necessário ter ensino médio completo, obter o diploma do curso de transações imobiliárias e fazer seu registro no Conselho Regional de Corretores de Imóveis. "Várias instituições em todo o país oferecem cursos técnicos, superiores e especializações para qualificação profissional neste segmento. No Rio de Janeiro, o Núcleo de Excelência e Formação (NUFEI) da Associação Brasileira das Administradoras de Imóveis (ABADI) apresenta cursos desde formação técnica básica até a pós-graduação em direito imobiliário em parceria com a Universidade Candido Mendes", aponta.

Além de estudar, quem deseja ingressar neste ramo tem que trabalhar arduamente. Características como paciência, perseverança, disciplina, flexibilidade, organização e humildade são imprescindíveis para lidar com atendimento ao público e negociar imóveis. "O corretor deve passar confiança para o seu cliente e sempre manter contato. Entre as atribuições do cargo estão à venda, captura e cadastro de imóveis. É importante ter todas as informações sobre as edificações, incluindo as condições de compra e venda, documentação e prazos", acrescenta.

A migração de profissionais de outras áreas, como direito, contabilidade, administração e psicologia, para a corretagem imobiliária se tornou comum e atualmente existem diferentes perfis de corretores. "O interesse está nas boas comissões que alguns negócios podem render. A porcentagem de ganhopara cada venda varia entre 0,9% e 1,7%, mas pode ultrapassar os 3%. A imobiliária determina a comissão e também pode motivar os funcionários com premiações e benefícios, incrementando o salário no fim do mês", conta.

Freitas destaca que não há como definir qual a área mais promissora da corretagem de imóveis. De qualquer forma, a cultura dos novos empreendimentos, que vendem estilos de vida junto com as edificações, faz com que os lançamentos estejam em alta. "Mesmo que a venda de usados, por exemplo, tenha uma previsão um pouco maior de crescimento, todos os segmentos são promissores. O corretor de imóveis tem que estar atento às oportunidades e estar sempre atualizado, pois seu sucesso também depende do cenário político-econômico e do humor do mercado imobiliário", enfatiza.

O especialista lembra da importância de buscar uma imobiliária séria, que atue com corretores qualificados e com experiência. Negociar diretamente com a administradora de bens garante mais segurança, comodidade e rapidez para o cliente. "As administradoras, como a PRIMAR, possuem uma grande variedade de imóveis, o que aumenta as opções de escolha. Sem contar que o cliente é atendido por um profissional especializado no ramo de imóveis desejado, assegurando um atendimento de maior qualidade, já que o corretor está por dentro das mudanças de um segmento específico", finaliza.