OS RISCOS DE FIXAR FAIXAS NA FACHADA DO IMÓVEL

Dois são os motivos que não trazem vantagens em fixar faixas, banners ou placas nas fachadas dos imóveis:



A primeira situação, e a mais preocupante, é a vulnerabilidade dos moradores do imóvel, caso a propriedade esteja habitada. A placa de vende-se na frente do imóvel  facilita a ação de criminosos. É como se por trás da placa indicativa de venda estivesse escrito: pode entrar, este imóvel tem acesso facilitado para assalto. Desta forma, aconselho não colocar em risco seus clientes e familiares.


Certamente que você pode colocar faixas e, em acordo com o proprietário do imóvel, aconselhá-lo que não atenda clientes e nem abra a porta da casa, principalmente a pessoas estranhas, sem a companhia do corretor, mesmo que o dito cliente esteja bem vestido e aparente ser uma boa pessoa. Lembre-se: as aparências enganam. Para evitar que o proprietário caia em tentação, esquecendo-se do conselho de não abrir a porta a pessoas estranhas, colocando seus familiares em risco, não coloque faixas na frente do imóvel.

A segunda questão é, se um possível cliente conhecer o imóvel sem a presença do corretor, o proprietário pode enxergar a possibilidade de realizar a venda sem ter que pagar pelo o honorário do profissional. Aí você, corretor, pode se questionar: mas se eu tenho a exclusividade de intermediação imobiliária, não estou tranquilo? Eu respondo: não, não há garantia de que o proprietário irá lhe pagar o honorário, mesmo que você possua exclusividade.


O proprietário pode apresentar o imóvel ao cliente sem comunicar ao corretor, assinarem uma promessa de compra e venda e, após a vigência do contrato terminar, ir ao cartório e assinar a Escritura Pública. Obviamente que o proprietário não agirá corretamente, mas não podemos nos iludir. Essas atitudes desonestas, por parte do proprietário do imóvel, podem acontecer.

Somente coloque faixas ou placas indicativa de venda quando o imóvel estiver desocupado. Com isso, você ajuda a preservar a integridade da família e evita passar por situações delicadas e constrangedoras.