CORRETOR DE IMÓVEIS: CERTO OU ERRADO PANFLETAR NO SINAL?

Vou soltar o pino da granada neste texto!
Quero te levar a uma reflexão profunda sobre sua carreira e seus resultados.

Aviso logo: antes de se armar todo com crenças e certezas generalistas, peço que leia e REFLITA sobre este texto até o fim para, então, jogar pedra em mim (se for o caso).
Recebo muitos e-mails de corretores de todo Brasil questionando sobre a ação de panfletar no sinal. Alguns indignados, outros realmente sem saber se isso é certo ou errado. Por isso, resolvi escrever sobre esse assunto e compartilhar com você minha experiência PRÁTICA e REAL.
Vejo o mercado imobiliário como um dos mais acirrados que existe. Provavelmente, você vai “sofrer” bastante antes de alcançar o sucesso. Afinal, a concorrência é gigantesca e a falta profissionalismo beira ao absurdo.
E o que a panfletagem tem a ver com isso?
Veja o vídeo abaixo e vamos refletir:



E aí, o que sentiu?
Vergonha? Indignação? Abuso? Humilhação?
Eu achei IRADO!
Esse “cara” tem o meu respeito. Ele se chama Renato Rodrigues e é gerente da house de uma das maiores construtoras do Espírito Santo. Quando encontrei esse vídeo na internet eu falei:
- BINGO! É disso que eu estou falando!
Os motivos que levam os corretores a panfletarem são diversos: baixa nas vendas ou até mesmo nenhuma venda realizada, meta a ser batida, orientação da imobiliária/construtora, poucos recursos para divulgação do imóvel e etc.
Como corretor de imóveis, panfletei incontáveis vezes. Já fui para o sinal (semáforo), porta de escola, de prédio comercial, de restaurante e de vários outros locais onde fosse possível prospectar clientes.
Era fácil ir para rua panfletar? Não!
Por diversas vezes, fui sacaneado pelos amigos que encontrava no caminho. Muitos me perguntavam se eu estava “quebrado”, afinal, estava “apelando” para a panfletagem.
A situação era, no mínimo, constrangedora, não pela panfletagem em si, que é um trabalho digno, mas pelo receio que tinha sobre o que os outros pensavam a respeito de mim. Uma grande besteira, pois naquele momento era preciso fazer aquilo. Aliás, aprendi muito nas panfletagens.
Descobri que VERGONHA e HUMILHAÇÃO era ter que pedir “vale” ao meu gerente por não ter dinheiro para ir trabalhar, para almoçar, para colocar gasolina no carro, para levar meu filho ao cinema (não tenho filho, mas presenciei vários colegas nessa situação), além de ter que atrasar pagamento de prestação de carro e do imóvel, entre outras situações que me indignavam.
O resto é discurso mesquinho de corretor que adora arrumar muleta para não vender, cujo prazer está em criar “revoluções sem causa”, estimulando a baderna nos salões de vendas.
Talvez, a panfletagem não seja “a melhor” forma de prospectar, mas garanto a você que é uma maneira de vender e, assim, se manter “vivo” no mercado, sendo um diferencial, uma vez que, no mundo das vendas, o que manda é resultado. E nesse caso, o corretor que panfleta está em busca dos seus resultados, agindo com ética e sem prejudicar a ninguém.
E se você ainda está convencido de que não nasceu para isso e que jamais iria para rua distribuir panfleto, tem o meu respeito desde que você seja o campeão de vendas da sua equipe/empresa. Pois para mim, nada menos que isso importa.
Eu quero que você resolva todos os seus problemas ficando rico e eu estou aqui para te ajudar. E se para isso for preciso panfletar, se jogue, dê o seu melhor, ouse, faça algo que nenhum corretor jamais fez, #quebreasregras!
Podemos fazer diferente, podemos fazer melhor.
Nos vemos no pódio. #quebreasregras
Por: Guilherme Machado