QUAIS AS VANTAGENS DE UTILIZAR UM SOFTWARE DE INTEGRAÇÃO COM PORTAIS IMOBILIÁRIOS?

Diariamente os portais imobiliários movimentam o mercado com a compra e a venda de casas, apartamentos, lofts, flats, chácaras, lojas, galpões, pontos comerciais e tantos outros tipos de imóveis. Em meio a essas diversas transações, de que forma você se destaca?
Não importa se você é um corretor autônomo ou uma imobiliária: ser reconhecido e contar com um bom gerenciamento dos seus anúncios e oportunidades é essencial se você quer resultados. Porém, como anunciar para impactar seus clientes de forma eficiente? Muitas imobiliárias e corretores têm essa dúvida. Por isso, elaboramos esse post para que você entenda como fazer um bom gerenciamento de anúncios e de que forma um software pode facilitar seu dia a dia e ainda trazer excelentes soluções.

Onde anunciar?

Durante muito tempo, os anúncios de imóveis ocupavam de forma massiva os classificados dos jornais e algumas revistas. No entanto, com a evolução da tecnologia e a chegada da internet, jornais e revistas acabaram perdendo a força e os postais imobiliários ganharam abrangência diante do público. Hoje a internet já conta com diversos portais pagos e gratuitos que conectam oportunidades a potenciais compradores.
Além da abrangência, a internet conta com mais uma vantagem: a possibilidade de medir o impacto de um anúncio, além de colher informações e dados que podem modificar e aprimorar a estratégia do anunciante.  Hoje já é possível mapear quem clicou no seu anúncio, de que forma chegou até ele e quem é o seu potencial cliente. Esse tipo de informação representa dados valiosos que interferem diretamente na eficiência de um anuncio e, portanto, podem guiar o corretor ou a imobiliária no que se refere às suas estratégias de divulgação.
Por isso, quando se fala em onde anunciar, não restam dúvidas: a web conta hoje com o maior potencial por integrar boa parte dos clientes.

COMO O CONSUMIDOR COMPRA IMÓVEIS USANDO A INTERNET

Começo pela conclusão.
Dados de pesquisas revelam que a grande maioria (2/3) das pessoas não compra os imóveis inicialmente selecionados nas buscas pela internet. O que ocorre é que, no penoso processo de busca e visitação, o consumidor “esbarra” num corretor com quem simpatiza, passa a sua real necessidade e é esse profissional que encontrará o imóvel que será comprado de fato.
Façam uma pesquisa vocês mesmos. Perguntem para pessoas conhecidas como foram os últimos processos de compra de imóveis que elas tiveram. Vocês vão se surpreender com a semelhança com o processo descrito acima.


Concluímos que o processo mais otimizado (e aonde o consumidor deveria focar mais energia) consiste em encontrar o melhor corretor possível para atender a sua necessidade, e não procurar imóveis por conta própria, tendo que tratar com diversos anunciantes ao mesmo tempo, sem conseguir a devida atenção de nenhum deles.

Mas estamos longe disso. As pessoas ainda insistem em começar o processo pela busca do produto, do imóvel. Elas ainda não se dão conta que, na grande maioria dos casos, a realização do sonho da casa própria fica muito mais fácil quando se tem a ajuda de um corretor especializado.
Isso é um fato! Escondido ainda, mas um fato.
E como chegamos a essa conclusão?

4 PASSOS PARA CONSEGUIR VENDER MAIS E MELHOR

Todo o corretor sabe a importância de manter o foco nas vendas e em um bom atendimento. É sabido que o boom do mercado imobiliário já passou e hoje em dia, todos os setores da economia do país falam em crise. Assim, é importante que o corretor imobiliário esteja atento e busque vender mais, mesmo que, a princípio, o cenário possa parecer estagnado. As vendas estão boas para você? Ainda assim, vender mais nunca é demais para os corretores que buscam o sucesso!
Por isso, confira nossos quatro passos para vender mais.

1. Mantenha-se atualizado e capacitado

Quem deseja atuar no mercado imobiliário obtendo sucesso precisa manter-se sempre atualizado e capacitado, buscando dicas, aprendizado e treinamento em técnicas de vendas, novas tecnologias, atendimento e relacionamento com o cliente. O primeiro passo já está sendo dado, enquanto você lê esse post, lembre-se de manter-se sempre em busca de conhecimento e de novidades da área. Isso poderá lhe abrir portas, gerar insights para novas oportunidades e lhe dará ainda mais confiança na hora de prospectar e de vender.
tecimob-site-corretor-imoveis-imobiliria-702-87 4 passos para conseguir vender mais e melhor2. Continue fazendo parcerias
Quem trabalha no mercado imobiliário, por vezes vê em outros corretores apenas concorrentes e não percebe neles o potencial de fechar boas parcerias. É comum que chegue até você (ou que você faça a captação) de um cliente que busca um imóvel que você não possui em seu portfólio. Se o corretor finalizar o atendimento aqui, certamente ele perderá a oportunidade de manter o relacionamento com esse cliente e de fazer negócios com ele.
O corretor com foco em relacionamento e em vendas deve estar aberto a fazer parcerias com outros corretores e mesmo com outras imobiliárias para conseguir vender mais. Mantenha bom relacionamento com eles e mostre-se aberto a manter com eles relações do tipo ganha-ganha.

DICIONÁRIO DO MERCADO IMOBILIÁRIO

Um guia útil, prático e de rápida consulta para todo profissional do Mercado Imobiliário preparado pelo Grupo Cyrela/Brazil Realty que promete não lhe deixar na mão na hora em que a definição de um termo específico insiste em fugir da mente. Afinal, “definir uma palavra é capturar uma borboleta no ar”, como já disse Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, autor de um dos mais respeitados dicionários da Língua Portuguesa. Se ele pensa assim, quem somos nós para dispensar uma ajuda, não é mesmo?
Aproveite a leitura para aprender mais e tirar suas dúvidas sobre o Mercado Imobiliário.
  • ABECIP – Sigla de Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança.
  • ABNT – Sigla de Associação Brasileira de Normas Técnicas.
  • Abrir operação – Cancelar um negócio fechado, em que ocorreu erro reconhecido pelas partes, nas bolsas ou nas mesas de operações.
  • Acabamento (fase de) – Estágio da obra repleto de detalhes. Com exceção do revestimento e pintura da fachada, quase todos os outros processos acontecem na parte interna do prédio. Além dos revestimentos (paredes e pisos), é na fase de acabamento que se instalam as peças dos banheiros e cozinha das unidades. Também é o momento para a colocação de portas, ferragens, metais, esquadrias, vidros, entre outros detalhes. A pintura, tanto interna e externa, bem como a limpeza, são os últimos procedimentos do acabamento.
  • Ação de despejo – Ação judicial pela qual o autor, proprietário de imóvel alugado, pretende obter a desocupação do referido imóvel de forma compulsória, baseada em motivos explicitados em lei.
  • Ação revisional de aluguel – Ação judicial pela qual o autor, proprietário de imóvel alugado, pede a atualização do valor do aluguel com base no preço de mercado. A revisão judicial só pode ser requerida após três anos de vigência do contrato ou do último acordo.

CONSIDERAÇÕES GERAIS ACERCA DO CONTRATO DE PERMUTA DE BENS IMÓVEIS

É de conhecimento notório que o homem, no dia a dia de suas mais diversas atividades, estabelece relações e firma negócios jurídicos de extrema importância, fazendo-o por meio dos mais diversos contratos.
Com os negócios imobiliários isso não se dá de modo diferente e, especificamente, quanto à aquisição de um bem desta natureza, o que se vê, via de regra, é serem firmados usualmente contratos de compra e venda que, segundo disposição do art. 481 do Código Civil brasileiro (CCb) é aquele no qual “um dos contratantes se obriga a transferir o domínio de certa coisa, e o outro, a pagar-lhe certo preço em dinheiro”.
Importante registrar que, para a transferência da propriedade de um bem imóvel não basta somente a assinatura de contrato, mas uma série de formalidades que culminará com a transcrição do título de transferência junto ao Cartório de Registro de Imóveis da circunscrição do bem imóvel. O instrumento contratual consistirá, pois, apenas no estabelecimento de uma relação obrigacional entre as partes, valendo isso tanto para o contrato de compra e venda de bens imóveis, quanto para o contrato de permuta (ou mesmo a promessa de compra e venda ou de permuta).
Fica, então, a indagação: qual a diferença entre a compra e venda e a permuta na prática negocial e legal? E a resposta é imediata: não há diferenças substanciais entre a compra e venda e a permuta. Na verdade, o principal fator que as distingue é o fato de, na compra e venda, a prestação de uma das partes consistir na entrega de dinheiro (moeda).