VENDA DE IMÓVEIS USADOS CRESCE 54,99% NO ESTADO DE SÃO PAULO

Mercado de locação residencial também tem melhora significativa, com alta de 47,64%.

29/04/09, São Paulo, SP - As vendas de imóveis usados no Estado de São Paulo em fevereiro aumentaram 54,99% em relação a janeiro.

Pesquisa feita pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP) com 1.656 imobiliárias de 37 cidades, incluindo a capital, detectou a venda de 1.026 imóveis de todos os tipos, o que fez o índice estadual evoluir de 0,3998 em janeiro para 0,6196 em fevereiro.

A capital foi o destaque do período, com vendas 140,29% maiores que as de janeiro. Nas outras três regiões, o desempenho também foi positivo - houve alta de 55,43% no interior; de 54,66% nas cidades de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Guarulhos e Osasco; e de 23,91% no litoral.

Em fevereiro, as casas foram os imóveis mais vendidos no Estado, com 52,24% do total. Os apartamentos responderam pelos restantes 47,76%.

Na capital e na região formada pelas cidades de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Guarulhos e Osasco, os imóveis mais vendidos em fevereiro foram os de valor superior a R$ 200 mil, com 33,33% do total na capital e 27,87% na região formada por essas seis cidades.

No litoral, a faixa predominante, com 25,55% das vendas, foi a de imóveis com valor entre R$ 61 mil e R$ 80 mil. No interior, com 19,42% do total vendido, a preferência recaiu sobre os imóveis com valores entre R$ 81 mil e R$ 100 mil.

Locação - O mercado de locação foi pela mesma trilha em fevereiro. As 1.656 imobiliárias pesquisadas alugaram 3.514 casas e apartamentos, o que fez o índice estadual de locação aumentar 47,64%, passando de 1,4372 em janeiro para 2,1220 em fevereiro.

O litoral, impulsionado pelas férias e pelo carnaval, foi o campeão de crescimento - o número de imóveis alugados em fevereiro foi 176,50% superior ao de janeiro. Na capital, a alta foi de 31,23%; no interior, de 57,03%, e na região formada pelo A, B, C, D, Guarulhos e Osasco, de 20,45%.

Os imóveis com aluguel mensal entre R$ 401,00 e R$ 600,00 foram os campeões da preferência nas imobiliárias. Eles somaram 28,39% das novas locações na capital; 34,57% no litoral; 39,83% no interior e 38,49% nas cidades do A, B, C, D, Guarulhos e Osasco.

As casas tiveram a preferência dos novos inquilinos, com 57,4% do total de novas locações, e a maioria dos contratos foi fechada tendo o fiador como garantidor dos pagamentos em todas as quatro regiões da pesquisa: 88,29% no interior; 46,63% na capital; 55,63% no litoral; e 42,59% nas cidades do A, B, C, D, Guarulhos e Osasco.

A inadimplência aumentou 14,35% em fevereiro na comparação com janeiro - o número de inquilinos em atraso com o pagamento do aluguel passou da média de 4,74% dos contratos em vigor em janeiro para 5,42% em fevereiro. Foram cancelados 2.006 contratos, o equivalente a 57,09% do total locado em fevereiro.

As 37 cidades pesquisadas pelo Creci-SP foram: Americana, Araçatuba, Araraquara, Bauru, Campinas, Diadema, Guarulhos, Franca, Itu, Jundiaí, Marília, Osasco, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Rio Claro, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, São Carlos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Sorocaba, Taubaté, Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião, Ubatuba, Bertioga, Guarujá, Santos, São Vicente, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe e Praia Grande.