MERCADO IMOBILIÁRIO DEMANDA NOVO CORRETOR DE IMÓVEIS MAIS QUALIFICADO

De volta às salas de aula, corretores buscam qualificação profissional para serem mais que vendedores de imóveis



O corretor de imóveis é regulamentado como profissão desde 1950 e a atuação e funções mudaram muito nesse período. Se, anteriormente, a experiência era o que mais importava, hoje, a profissionalização é um destaque do setor, aquecido por novos empreendimentos e o aumento de renda da população. Muito além de apresentadores de imóveis, o perfil do corretor imobiliário ganha com formação em áreas diversificadas, como engenharia, arquitetura, direito, finanças, vendas e marketing. Além do conhecimento básico de avaliação, a atuação requer princípios de ética e legislação específica, noções de política e geografia global, eloquência, persuasão, boa aparência e etiqueta.

O gestor imobiliário da unidade fraqueada RE/MAX Class em Belo Horizonte, Rock Hudson, afirma que o exigente padrão do mercado imobiliário está em processo de mudança, deixando para trás o perfil de vendedor. “O tradicional corretor cede lugar a profissionais diferenciados e interessados na importante atualização sobre conhecimentos que potencializem o uso de novas ferramentas”, observa.

A mudança não acontece apenas no mercado em Belo Horizonte. Muriel Laterza, consultor de imóveis da unidade fraqueada RE/MAX Acerti em Uberlândia, já participou de diversos cursos e tem fluência em cinco línguas. Ele destaca que a formação especializada ajuda, não só nas demandas dos clientes que procuram empreendimentos pelo interior do estado, como também, apoio em contratos no exterior, muito procurados por investidores. “É preciso diferenciais num mercado cada vez mais competitivo, se preparando para qualquer situação, aliando qualificação, jogo de cintura e confiança”, cita.




Alguns corretores aproveitam essa carência profissional do mercado como oportunidade de negócio. Gisele Gonçalves, corretora e franqueada da unidade RE/MAX Atual é um exemplo. Ela conta que exercia a profissão de advogada há quase vinte anos, quando decidiu mudar de imóvel e percebeu como apenas a experiência dos corretores não era suficiente para suprir as necessidades de um bom atendimento. “O primeiro passo na minha preparação foi investir em um curso técnico em Transações Imobiliárias. A partir daí, aliando minha experiência anterior com as técnicas aprendidas em sala de aula, ingressei na profissão e, hoje, já sou franqueada, oferecendo exatamente o que meus clientes procuram”, afirma.